Sexta-feira 19/02/16

CFG Open 15.5

27 calorie row,
27 thrusters @95/65LBS,
21 calorie row,
21 thrusters @95/65LBS,
15 calorie row,
15 thrusters @95/65LBS,
9 calorie row,
9 thrusters @95/65LBS

At start of each round calorie count must be reset on rower.
Score is total time it takes to complete all reps.

Terça-feira 16/02/16

CFG Open 13.1

Proceed through the sequence completing as many reps as possible in 17 minutes:
STANDARD:
40 burpees, 
30 snatches @75/45LBS, 
30 burpees, 
30 snatches @135/75LBS, 
20 burpees, 
30 snatches @165/100LBS, 
10 burpees, 
AMRAP snatches @210/120LBS.

MASTERS:
40 burpees, 
30 snatches @45/35LBS, 
30 burpees, 
30 snatches @75/55LBS, 
20 burpees, 
30 snatches @100/75LBS, 
10 burpees, 
AMRAP snatches @120/90LBS.

image

Segunda-feira 15/02/16

CFG Open 12.3

Complete as many rounds and reps as possible in 18 minutes:
STANDARD:
15 box jumps @24/20″, 
12 push presses @115/75LBS, 
9 toes-to-bar.

MASTERS:
15 box jumps or step-ups @20″, 
12 push presses @95/55LBS, 
9 toes-to-bar.

O efeito acumulativo do treinamento

Diariamente sou recebido por um aluno com sorriso estampado no rosto com a notícia:
” Coach hoje eu consegui fazer pulos duplos de corda (double unders)”. E a mesma cena se repete com outros alunos e outras habilidades (pull ups, pistols, muscle up, …).

O interessante é muitas vezes ouvir : ” Nossa Coach hoje cheguei no Box, tentei fazer aquela habilidade, e simplesmente saiu! Consegui fazer o movimento!”. E, a princípio, isso soa aos ouvidos como um golpe de sorte, uma casualidade, mas na verdade muitos princípios do treinamento foram abordados antes que tudo isso acontecesse.

Vamos tomar como exemplo um “Bar Muscle Up” (subida na barra). A aluna inicia seu treinamento, e pouca força tem pra fazer uma simples repetição de barra fixa, acaba adaptando o exercício com um “ring row” (remada na argola), e em outra ocasião faz barra fixa pulando com auxílio das caixas (Box pull up), ou usando as cintas elásticas.  Toda essa rotina constante de treinamento (princípio da continuidade), com variações de  treinos (princípio da variedade) e alterações de escala (princípio da sobrecarga), permitem que com um tempo se desenvolva coordenação, resistência muscular, força e outras capacidades físicas.

A composição dessas variáveis do treinamento melhora o desenvolvimento atlético, e permite que com o passar do tempo, algumas habilidades anteriormente distantes de serem atingidas passam a se tornar parte de sua rotina.

Portanto galera, acredite no treinamento, confie no programa de treino e principalmente ouça o seu treinador. Os treinadores conseguem ter uma visão mais ampla de todo esse processo.

Sendo assim … “bora  treinar”!!!

Coach Teco Martins (CF198).

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=813531218772591&id=268953936563658